Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/1073
Título: A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NA PERSPECTIVA DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE FRUTAL: UM ESTUDO DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS
Autor(es): Souza, Fabiana Veríssimo da Costa
Palavras-chave: Educação Inclusiva
Representação social
Práticas pedagógicas
Data do documento: 25-Ago-2017
Resumo: Neste estudo elegemos os professores da rede municipal de Frutal-MG, integrantes do Atendimento Educacional Especializado (AEE) e Professores de Apoio para nos deter no objeto de pesquisa relacionado à Educação Inclusiva e à representação que esses profissionais docentes possuem como contribuição visto as experiências vivenciadas, a metodologia adotada e as ações desenvolvidas diariamente com seus esforços para promoverem a inclusão na escola como um todo e auxiliando no respeito a inclusão e diversidade, ajudando a garantir a boa convivência e aceitação e adaptando materiais para a efetiva aprendizagem dos alunos. Essa pesquisa toma como objeto a Educação Inclusiva na perspectiva dos profissionais da rede municipal deste município em um estudo em RS, partindo do ponto de vista do que vem a ser E.I para cada participante, da maneira como vêem o sentido da E.I. No mediar conhecimentos, na hipótese de contribuírem ou não com o alunado, juntamente apresentado neste trabalho com reflexão, estudo teórico e atuação dos professores. Insere-se na Linha de Pesquisa Desenvolvimento Profissional, Trabalho Docente e Processo de Ensino-aprendizagem do Programa de Pós-graduação Mestrado Acadêmico da Uniube. A representação social explica fenômenos sociais a partir do coletivo, sem perder as características individuais e constrói o conhecimento coletivo ou compartilhado, com a finalidade de construir a realidade comum ao grupo. O estudo tem respaldo da teoria das Representações Sociais, referenciada na concepção de Moscovici (1978) e Jodelet (2001). Os participantes da pesquisa foram 28 profissionais que atuam na Educação inclusiva do município nas funções de professores de apoio e da sala de AEE. Assim, este trabalho apresenta como objetivo geral identificar as representações sociais que os professores das escolas municipais de Frutal-MG têm construído sobre a educação inclusiva com foco nas práticas pedagógicas realizadas pelos professores. Para alcance deste objetivo, foi imprescindível conhecer o perfil dos participantes de pesquisa; identificar o núcleo central das representações sociais que os professores da Educação Básica têm construído sobre a Educação Inclusiva a partir de suas práticas pedagógicas e da contribuição para a aprendizagem do aluno; compreender as práticas pedagógicas desenvolvidas pelos docentes e como consideram as políticas de inclusão concebidas nos projetos pedagógicos das escolas municipais de Frutal; conhecer a relação estabelecida entre a inclusão e a formação de professores, na perspectiva do ambiente escolar. Para alcançar os propósitos da pesquisa, optou-se por uma investigação quanti-qualitativa com trajetória teórico-metodológica fundamentada nos estudos de Moscovici (1978) e Jodelet (2001) e na subteoria do Núcleo Central de Abric(2001). Para fundamentar as análises e reflexões, buscou-se aporte teórico em obras de Duarte (2001), Facci (2004) e Gatti (2010), assim como Beyer (2010), Glat e seus colaboradores (1998); Pletsch (2009; 2010), Glat; Pletsch (2011), Senna (2008), Mantoan e Marques (1997). Para os procedimentos, ou seja, processamento e auxílio das análises dos dados, além a Teoria das Representações Sociais e para análise das questões abertas do questionário, serão utilizados os fundamentos da Análise de Conteúdo de Bardin (2011) utilizou-se também o Software EVOC versão 2000 para auxiliar nas análises que busca identificar nas Representações Sociais os elementos centrais e periféricos. Para as palavras e para a análise, adotou-se o Método de Vergés (1992) que tem como finalidade organizar as evocações de acordo com a ordem de aparecimento, segundo o grupo de análise, ressaltando os principais elementos nele contidos e ligando-os com os elementos secundários e, assim, complementando as informações. Os resultados apresentaram que os professores embora tenham sido ancorados em sentimentos que não denotam relações com aprendizagem ainda sim buscam conhecimentos teóricos em formações continuadas para aprimorarem suas práticas. Para tanto, ainda que os professores não estejam plenamente preparados para a Educação Inclusiva ou possuam somente o domínio básico que os auxiliem para atuar nesse contexto, esforçam-se buscando conhecimentos e ou subsídios teóricos para o atendimento de criança cada uma com sua necessidade educacional especializada, seja pela busca de metodologias de estudo adaptadas a essa realidade ou por conhecimentos construídos a partir de experiências que se transformam em significados para cada fato. Como resultado, traçou-se o perfil dos participantes da pesquisa, analisaram-se as informações assim como do significado da Educação Inclusiva para esses profissionais, observando a existência (ou não) de políticas de inclusão nos projetos e planejamento escolares no município de Frutal. Sendo assim, este trabalho se apropria de experiências vivenciadas por um grupo que busca o mesmo conhecimento, entendimento, reflexões e promove a auto avaliação da prática preparada que leva à boa mediação e, assim, à aprendizagem efetiva do alunado com NEE.
URI: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/1073
Aparece nas coleções:2017

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Fabiana Veríssimo da Costa Souza.pdf1,77 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.