Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/797
Título: SABERES E FAZERES QUILOMBOLAS: diálogos com a Educação do Campo
Autor(es): Alto, Rosana Lacerda Monte
Palavras-chave: Quilombolas
Saberes tradicionais
Educação do Campo
Data do documento: 18-Dez-2012
Resumo: A Educação do Campo vem conquistando espaço em debates e políticas educacionais no cenário brasileiro e não se concretiza sem reconhecer a existência do campo, de sua realidade histórica e dos sujeitos que nele vivem, compreendendo seus processos culturais, sua socialização e as relações de trabalho vivenciadas por esses sujeitos em suas práticas cotidianas. Nesse sentido, a Educação do Campo busca manter e legitimar a identidade dos homens e mulheres do campo, além de respeitar e valorizar os diferentes saberes e fazeres já construídos, a partir de suas histórias de vida. O presente trabalho busca compreender como a Educação do Campo vem se dando entre populações quilombolas de uma comunidade de Minas Gerais (comunidade quilombola Justa I, situada no município de Manga/ MG). Considera-se que, para garantir uma melhor percepção do cotidiano, da cultura e das tradições da população quilombola, é imprescindível alcançar um profundo conhecimento das histórias de vida deste povo, das suas vivências e das suas experiências no dia-a-dia. Como os remanescentes quilombolas educam e se educam em seu cotidiano e como a Educação do Campo vem dialogando com esses saberes e fazeres, a partir das “Histórias de vida”, foram os objetivos aqui propostos. Os resultados da pesquisa apontam para o PRONERA, no município de Manga/MG, que veio a fortalecer a Educação do Campo, à medida em que forma profissionais da educação, capazes de desenvolver um ensino voltado para o diálogo e a construção própria do conhecimento dessas comunidades quilombolas. Os quilombolas (Justa I), por sua vez, considera “saber” o conhecimento formal adquirido na escola, embasam seus valores no trabalho, família e território e a educação (formal ou não) é presente na vida cotidiana dos remanescentes quilombolas de Justa I, impressa nos seus fazeres e nos seus saberes múltiplos. Justifica-se a natureza deste estudo como possibilidade de resgatar a cultura quilombola nos processos educativos destas populações, valorizando os seus múltiplos conhecimentos e práticas sociais.
URI: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/797
Aparece nas coleções:2012

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ROSANA LACERDA MONTE ALTO.pdf2,71 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.