Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/860
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorPereira, Djalma Gonçalves-
dc.date.accessioned2019-09-23T17:35:11Z-
dc.date.available2019-09-23T17:35:11Z-
dc.date.issued2013-07-12-
dc.identifier.urihttp://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/860-
dc.description.abstractO desenvolvimento tecnológico, a evolução da internet e o acesso facilitado a equipamentos digitais e à rede provocaram mudanças sociais nos modos de produção, na transferência do conhecimento e nas relações humanas, consequentemente no campo educacional. Nesse contexto, contando com políticas públicas e legislação favorável, o Ensino a Distância (EaD), na primeira década do século XXI, se estabeleceu e cresceu de forma exponencial, tanto no setor público quanto no privado, atrelado ao discurso da democratização de oportunidades para o acesso ao curso superior. Muitas questões sobre o EaD surgem relacionadas a diversos aspectos, entre eles os referentes à dimensão didática nos processos de ensino e aprendizagem. Esta pesquisa está orientada pela questão: Como ocorre a mediação didática do conteúdo no ambiente virtual de aprendizagem nos cursos de Licenciatura em Matemática na modalidade a distância, ofertados por IES do estado de Minas Gerais, na perspectiva do formador? A abordagem do estudo é qualitativa, contando com pesquisa bibliográfica, documental e de campo, com aplicação de questionário a vinte e quatro formadores e entrevista semiestruturada a dezoito deles em três IES. A análise de conteúdo, de acordo com os pressupostos de Bardin, orientou a análise das entrevistas, além da elaboração de tabelas e gráficos para os dados quantitativos. Fundamentaram teoricamente o estudo, Vyg, Libâneo e Peixoto com relação à mediação; Silva, Kenski, Lévy, sobre EaD e AVA. Com relação aos resultados obtidos, percebe-se que o ambiente Moodle, utilizado por duas das IES, apresenta ricas possibilidades de interatividade, conectividade e hipertextualidade, entretanto a mediação didática realizada nesse ambiente e no utilizado pela terceira IES não explora o potencial que cada uma dessas características encerra, por diversos motivos. São as definições impostas de cima para baixo, desde as políticas públicas, expressas na legislação e nos programas de EaD, até as definições contidas nos projetos pedagógicos. É o despreparo do professor para atuar nesse novo ambiente, o que o leva a agir por ensaio e erro, tomando decisões a partir do que funciona e do que não funciona. É uma concepção de mediação restrita, que considera apenas a comunicação unidirecional entre professor/tutor e alunos, desprezando outros aspectos. É a transposição didática interna, que é realizada, inicialmente, por um dos responsáveis, mas que é acompanhada e avaliada por outros. São as condições de trabalho docente que nem sempre favorecem a interatividade. Tudo isso confirma que a mediação didática no Ensino a Distância tende a ser instrucionista e unidirecional, apesar da concepção positiva dos formadores em relação a essa modalidade e o desejo de promover uma formação de qualidade.pt_BR
dc.language.isopt-brpt_BR
dc.subjectEnsino a Distânciapt_BR
dc.subjectMediação Didáticapt_BR
dc.subjectFormação de Professorespt_BR
dc.subjectAmbiente Virtual de Aprendizagempt_BR
dc.titleA MEDIAÇÃO DIDÁTICA NO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA NA PERSPECTIVA DO FORMADORpt_BR
dc.typeOtherpt_BR
Aparece nas coleções:2013

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DJALMA GONÇALVES PEREIRA.pdf7,1 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.